ALT + 1

Ir para o conteúdo

ALT + 2

Ir para o menu

ALT + 3

Ir para o rodape

Tamanho do texto:

ALT + 4

A

+

|

ALT + 5

A

-

ALT + 6

Contraste1

ALT + 7

Contraste2

Garanta sua vaga para 2021 na Black Friday UNINOVE

*CONSULTE O REGULAMENTO

Inscreva-se!

Inserção social

Mestrado em Cidades Inteligentes e Sustentáveis

A Região metropolitana de São Paulo é a 5ª maior do mundo com 19.649.000 habitantes. Destaca-se que mais de 85% da população do Brasil vivem em cidades com a previsão de chegar a 90% até 2020. Os centros urbanos mais densamente povoados são: São Paulo, com uma população de 11.244.369 de habitantes e Rio de Janeiro, com aproximadamente 6.323.037 de habitantes (IBGE, 2010). Essa urbanização crescente está forçando as cidades no Brasil e em diversos países a tornarem as suas infraestruturas mais eficientes e sustentáveis.

Os dados de desempenho de eficiência energética internacional do Conselho Americano para uma Economia de Energia Eficiente (ACEEE, na sigla em inglês), divulgados em 2012, mostram que, na classificação das 12 maiores economias mundiais, o Brasil ficou em 10º, só estando à frente do Canadá e da Rússia. Segundo o estudo publicado da ACEEE, na classificação geral, o Reino Unido ficou em primeiro lugar. Em seguida, vieram Alemanha e Itália. Para classificar os países, o ACEEE utilizou uma escala de 100 pontos possíveis em 27 categorias, estas divididas em quatro grupos: esforços nacionais (legislações e políticas), construções, indústria e transporte.

Sobre mobilidade urbana, dados do IPEA (2012) mostram que aproximadamente 20% dos trabalhadores das regiões metropolitanas brasileiras gastam mais de uma hora por dia no deslocamento de casa para o local de trabalho. Em razão do tamanho e da complexidade dos sistemas de mobilidade urbana, o Rio de Janeiro (24,7%) e São Paulo (23,5%) apresentam os maiores percentuais de trabalhadores que perdem mais tempo no percurso. Na região metropolitana do Rio, gasta-se em média 47 minutos e na de São Paulo, 45,6 minutos (IPEA, 2012). Na área de construções sustentáveis, o Brasil ocupa o 4º lugar entre os países que mais concentram edificações feitas a partir de critérios ambientalmente adequados. Os Estados Unidos reúnem o maior número de empreendimentos, seguidos pela China e pelos Emirados Árabes Unidos (Green Building Council, 2013).

Observa-se que conceito de cidades inteligentes e sustentáveis ainda se encontra em formação. Nesta linha destacam-se como exemplos Montreal, Barcelona e São Francisco. Na avaliação de autores estudiosos do assunto, essas cidades têm merecido atenção em nível mundial em função da demonstração de capacidade de se reinventarem, via proposição de vários caminhos e de intervenções para suas reestruturações produtivas e, também, via a criação de marcos regulatórios capazes de levar à sustentabilidade urbana.

Neste contexto, o Programa de Pós-graduação em Cidades Inteligentes e Sustentáveis pretende atingir elevada relevância na formação de mestres e doutores provenientes do Estado de São Paulo e de outras regiões do país, denotando a previsão de forte impacto regional desta proposta apresentada.

O PPG-CIS UNINOVE tem desenvolvido algumas atividades no que diz respeito à inserção social nos ambientes organizacionais.

A seguir descreve-se algumas ações do PPG-CIS UNINOVE com vistas a inserção social.

a) Sistema de Bolsas de Estudo: A UNINOVE mantém o “Programa de Bolsas para a Formação do Pesquisador”, que assegura um número limitado de bolsas de estudos distribuído segundo critérios explicitados em Regulamento próprio.

b) Participação nos Principais Eventos da Área: A participação dos docentes e docentes do PPG-CIS em eventos nacionais e internacionais desde o início do Programa é bastante expressiva.

c) Participação dos Docentes em Atividades Externas: a atuação dos docentes do PPG-CIS junto ao mercado de trabalho tem relação com a prática profissional na área de cidades inteligentes e sustentáveis, em contextos organizacionais e em interação com outros ambientes profissionais. Alguns destaques podem ser dados a atividades docentes fora do âmbito do Programa: cursos de curta duração ministrados, elaboração de material didático-instrucional, desenvolvimento de técnica, apresentação de trabalhos, editoração de periódicos, elaboração de pareceres, participação em bancas.

d) Participação na organização do SINGEP – Simpósio Internacional em Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade:O Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade (SINGEP) tem como foco principal ampliar o espaço para discutir os temas de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade (web site: singep.org.br). Com periodicidade anual, o evento é organizado pelos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração da UNINOVE, de modo especial o MPA-GP (Gestão de Projetos), o PPGA-UNINOVE (Inovação) e o MPA-GeAS (Sustentabilidade). Nas duas últimas edições do evento, o PPG-CIS colaborou na organização (IV e V SINGEP – 2015 e 2016).

e)  Parceria Universidade Nove de Julho e Instituto Mais: Destaca-se o papel do Instituto Mais por promover a divulgação de práticas sociais e empresariais sustentáveis através das seguintes iniciativas: Feira Internacional de Boas Práticas em Sustentabilidade (FIBOPS), Programa Benchmarking Brasil e Benchmarking Jr (onde são escolhidos e reconhecidos os melhores cases empresariais referentes a adoção de práticas socioambientais), BenchDay (ciclo de palestras em que são apresentados os cases escolhidos no Benchmarking Brasil e Benchmarking Jr), Canal Benchmarking (canal disponível na internet onde são apresentados programas que levam o espectador à discussão de assuntos ligados a sustentabilidade, por meio de entrevistas com personalidades e pesquisadores da área ambiental), além da publicação de revistas e livros.  Tem-se como objeto principal da parceria entre o Programa de Mestrado Profissional em Gestão Ambiental e Sustentabilidade e o Programa de Pós-graduação em Cidades Inteligentes e Sustentáveis da Universidade Nove de Julho e o Instituto Mais, o desenvolvimento em conjunto ações que tenham por objetivo comum a divulgação de conhecimentos a respeito da adoção de práticas sustentáveis, a formação de agentes multiplicadores e proporcionar maior potencial de inserção social das partes envolvidas.