ALT + 1

Ir para o conteúdo

ALT + 2

Ir para o menu

ALT + 3

Ir para o rodape

Tamanho do texto:

ALT + 4

A

+

|

ALT + 5

A

-

ALT + 6

Contraste1

ALT + 7

Contraste2

Garanta sua vaga para 2021 na Black Friday UNINOVE

*CONSULTE O REGULAMENTO

Inscreva-se!

Corpo docente

Mestrado em Cidades Inteligentes e Sustentáveis

Prof. Me. Aldo Valentim
Mestrado em Gestão e Políticas Públicas – FGV- EAESP – Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas de São Paulo
Mestrado em Artes – UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas
Doutorado em Políticas Públicas – UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

e-mail: aldovalentim@uni9.pro.br

Curriculo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Cidades Inteligentes, políticas públicas e cultura

    As políticas culturais ganharam relevância no Brasil, nos últimos 30 anos, principalmente após a CF 1988, marco significativo que garantiu a sua importância como área a ser considerada pelos governos na oferta de bens públicos para a população, na salvaguarda do patrimônio cultural material e imaterial e no desenvolvimento social.

    Também nos últimos 15 anos foi crescente a colaboração da cultura com o desenvolvimento econômico. Os mecanismos públicos de financiamento (isenções, fomentos, incentivos fiscais) geram empregos e renda, resultando  em uma participação de 2,6% no PIB nacional. No século XXI novos horizontes surgem: a economia criativa, as cidades criativas e a preocupação com a inovação; e a cultura mais uma vez ganha destaque como setor que pode resignificar os espaços urbanos, revitalizar bairros  e gerar condições para inovação nas cidades.

    A pesquisa tem como objetivo analisar a colaboração da cultura e do financiamento às iniciativas culturais, bem como propor modelos de mensuração  dos impactos territoriais da economia criativa, nas dimensões: econômica, social e urbana, no desenvolvimento das cidades.

Profa. Dra. Amarilis Lucia Casteli Figueiredo Gallardo
Mestrado em Universidade de São Paulo
Doutorado em Universidade de São Paulo
Pós-Doutorado em University of East Anglia, Inglaterra

Email: amarilis@uni9.pro.br

Curriculo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Instrumentos de Planejamento Ambiental e Avaliação de Impacto no espaço urbano

    Esse projeto tem por objetivo desenvolver pesquisa aplicada com instrumentos de planejamento ambiental e avaliação de impacto para a integração da sustentabilidade ambiental na tomada de decisão nas diferentes escalas de planejamento, desde políticas, planos, programas a projetos de engenharia em cidades. Caracteriza-se pela integração de temas globais da agenda ambiental mundial como mudanças climáticas e serviços ecossistêmicos até temas ambientais de agendas de desenvolvimento local. Em apoio ao desenvolvimento e à consolidação de políticas públicas e de iniciativas privadas destacam-se os instrumentos de Avaliação de Impacto Ambiental, Licenciamento Ambiental, Avaliação Ambiental Estratégica, Recuperação de Áreas Degradadas, Avaliação de Sustentabilidade, Recuperação de Áreas Degradadas, Revitalização de Drenagens Urbanas, Zoneamento Ambiental, dentre outros. A avaliação da eficácia e contribuição para a melhoria no uso desses instrumentos no contexto do planejamento ambiental urbano, com promoção da sustentabilidade, encontra-se no campo de estudos desse projeto-eixo. Nesse âmbito, o recorte das pesquisas pode englobar diferentes esferas de decisão do Poder Público e da iniciativa privada nos ecossistemas urbanos. Os resultados nesse campo de pesquisa remetem à melhoria da eficácia das práticas e do escopo desses instrumentos de planejamento ambiental, de modo a contribuir para o equacionamento dos problemas ambientais enfrentados pela sociedade quanto a conflitos de uso e ocupação de solo, obtenção de bens e serviços e proteção de recursos naturais no contexto do desenvolvimento sustentável no território urbano. As principais implicações sociais e tecnológicas referem-se a integrar subsídios técnicos ambientais à tomada de decisão no planejamento e projetos de engenharia e à recuperação de áreas verdes e rios no território urbanizado, por meio da racionalização dos recursos naturais, redução de impactos socioambientais e valorização de serviços ambientais na agenda pública e privada. Quanto à inovação da pesquisa, destacam-se as contribuições à governança ambiental no planejamento urbano e à inclusão da agenda técnica de serviços ecossistêmicos na promoção de cidades sustentáveis.

Profa. Dra. Andreza Portella Ribeiro
Mestrado em Tecnologia Nuclear Aplicações – Química Analítica pela Universidade de São Paulo – USP
Doutorado em Tecnologia Nuclear Aplicações – Química Analítica pela Universidade de São Paulo – USP

E-mail: andrezp@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de pesquisa: Indicadores Ambientais para Avaliar Pressões Antrópicas e Subsidiar o Planejamento Urbano e Regional.

    O processo de urbanização deve ser entendido a partir de uma abordagem dialética, pois compreende dois fatores principais: atrativos e repulsivos. A visão atrativa (ou benéfica) do crescimento das cidades refere-se às oportunidades oferecidas à sociedade em relação ao desenvolvimento econômico e social. Por outro lado, essas mesmas oportunidades podem estimular um crescimento desordenado; ou seja, os mais variados anseios da população resultam na intensificação de atividades industriais e na utilização indiscriminada de recursos naturais. Essas pressões refletem o lado repulsivo do desenvolvimento das cidades, dos quais emergem questões desafiadoras como a degradação de ecossistemas, áreas contaminadas e conflitos socioambientais. Frente a essa realidade, o planejamento urbano e regional se configura em um conjunto de ações integradas, que buscam equacionar ou minimizar problemas decorrentes do crescimento urbano desordenado associados às atividades públicas e privadas, que prejudicam a qualidade de vida e podem ser sentidos em escala local, ou ultrapassar os limites regionais, como os efeitos advindos das mudanças climáticas globais. Portanto, as pesquisas voltadas ao planejamento e desenvolvimento de cidades precisam considerar a variável “qualidade ambiental” na gestão de seus recursos naturais. Nesse contexto, o presente projeto docente visa desenvolver pesquisas com enfoque no diagnóstico e monitoramento da poluição ambiental em diferentes compartimentos do ecossistema (solo, água e ar), adotando os princípios da Política Nacional de Meio Ambiente – PNMC (Lei no 12.187/2009), que incentiva a abordagem de Nature-based Solutions, em combinação com técnicas de modelagens geoestatísticas. Essas metodologias oferecem subsídios à elaboração de indicadores ambientais de sustentabilidade que permitem caracterizar as principais ações humanas que têm contribuído para o desequilíbrio ambiental e o desarranjo do sistema natural global. Os resultados gerados incentivarão importantes setores da economia, como indústria, construção civil, atividades portuárias e outros, no que se refere ao aprimoramento de seus processos produtivos, para que estes fiquem em consonância às perspectivas de planos diretores municipais e outras legislações ambientais.

Prof. Dr. Carlos Leite de Souza

Mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela USP
Doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela USP
Pós-doutorado pela California Polytechnic State University, USA.

E-mail: c.leite@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Instrumentos territoriais indutores do Urbanismo Social

    Os instrumentos urbanos presentes no marco regulatório urbanístico brasileiro foram considerados inovadores quando de seu lançamento e, de fato, só encontram paralelo na América Latina na regulação urbanística colombiana. Porém, passados 17 anos, pouco se conseguiu efetivamente na sua aplicação com o objetivo da desejável transformação mais inclusiva socialmente do território urbano.

    São Paulo é o caso mais exitoso, especialmente na aplicação de alguns destes instrumentos de mobilização da valorização da terra (land police; land value sharing). Entretanto, eles não devem ser considerados um fim em sí mesmo, mas mecanismos redistributivos da valorização fundiária no território urbano. Seus objetivos devem ser a promoção: da justa captura da valorização do solo à gestão pública como importante fonte não tributária de recursos para o financiamento urbano; da indução ao uso do território mais equilibrado socialmente; do acesso à terra infraestruturada e qualificada para todos, especialmente dos territórios mais vulneráveis. O sucesso de arrecadação dos instrumentos deveria ser acompanhado da aplicação no desenvolvimento de um urbanismo social.

    Neste sentido, as estratégias  de promoção do urbanismo social em nossas cidades, com especial ênfase em São Paulo, através de políticas públicas fundiárias devem ser analisadas crítica e propositivamente, assim como avaliar-se o potencial das novas oportunidades de formulação de instrumentos inovadores a partir das ferramentas de gestão inteligente da cidade para a sua promoção.

    A metodologia adotada será (i) pesquisa acadêmica bibliográfica conceitual nacional e internacional; (ii) estudos de caso na América Latina e do Norte; (iii) análise crítica do marco regulatório recente de São Paulo.

    Como produtos gerados pela pesquisa, objetiva-se o desenvolvimento final de uma revisão propositiva de instrumento urbanístico para a cidade de São Paulo tendo como produtos parciais publicações e eventos com debates multi e interdisciplinares.

     

Profa. Dra. Cintia Elisa de Castro Marino
Mestrado em Forma Urbana e Território pela Universidade Politécnica da Catalunha e em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
Doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

E-mail: cintiacmarino@uni9.pro.br

Currículo Lattes

 

  • Projeto de Pesquisa: Iniciativas comunitárias e práticas participativas de apropriação e produção do espaço urbano.

    Na vida pública e nas atividades urbanas da cidade de São Paulo, ganham força cenários que até pouco tempo atrás eram consideradas estigmatizadas, como o uso da bicicleta, a apropriação dos espaços públicos e das ruas. No campo do urbanismo, essas iniciativas muitas vezes aparecem junto a ações argumentativas incentivadas por organizações comunitárias em especial quando as práticas oficiais que concebem e gestionam a cidade se tornam ineficientes ou insuficientes, como planos diretores, instrumentos urbanísticos, projetos e operações urbanas.

Prof. Dr. Cristiano Capellani Quaresma
Mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP
Doutorado em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP
Pós-doutorando em Geografia pelo Depto de Geografia – IG/Unicamp

E-mail: quaresmacc@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Iniciativas socioespaciais e a construção do espaço urbano democrático.

    O processo de urbanização acelerado e desigual, acompanhado por carências de planejamento, que caracterizou as transformações socioespaciais de países em desenvolvimento à exemplo do Brasil, gerou, enquanto formas, cidades que expressam um estado atual de crise urbana. Se por um lado este quadro está posto, por outro, as cidades também são territórios de possibilidades de mudança e de combate dos miasmas urbanos herdados. Neste sentido, destaca-se o papel de iniciativas de cunho social, que contribuem de forma contínua para a construção de um espaço urbano democrático, caracterizado por maior justiça social e pelo direito à cidade. Neste sentido, a partir da abordagem socioespacial, com base em estudos teóricos, de campo e utilizando-se de geotecnologias, o presente projeto de pesquisa visa identificar, mapear e analisar iniciativas de cunho social em áreas urbanas, especialmente aquelas relacionadas aos territórios segregados, vulneráveis e aos assentamentos informais, contribuindo para o melhor entendimento dos problemas socioespaciais e conflitos existentes, bem como para com a identificação dos agentes de produção do espaço e das relações de poder que se manifestam nos territórios urbanos. Espera-se que os estudos vinculados ao presente projeto de pesquisa permitam também entender as dificuldades enfrentadas por tais iniciativas e apontar suas potencialidades, sobretudo de gerar conhecimento e de se constituírem em exemplos de ações de sucesso que possam nortear futuras ações em outras localidades ou o aperfeiçoamento das políticas públicas existentes.

    Palavras-chave: Desigualdades Socioespaciais; Iniciativas sociais; Assentamentos Informais; Territórios Vulneráveis; Segregação Urbana; Geoprocessamento; Sistemas de Informação Geográfica.

Profa. Dra. Heidy Ramos Rodriguez
Mestrado em Sociedade, Economia e Estado pelo Programa de Pós–Graduação em Interação da América Latina – PROLAM/USP
Doutorado em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo – FEA/USP

E-mail: heidyrr@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Eficiência Energética aplicada ao Planejamento Urbano e Regional.

    A crescente expansão das cidades e a concentração populacional nos centros urbanos têm demandado o aumento do acesso à energia. Essa concentração de pessoas representa um aumento do consumo, inclusive de recursos energéticos, considerando que mais da metade da população mundial vive em cidades. Nesse contexto, a energia constitui um dos pilares fundamentais para o planejamento urbano e para a gestão pública.
    O paradigma de cidades inteligentes e sustentáveis, engloba a necessidade de promover uma maior eficiência energética e para isso, o planejamento das cidades pode ser usado como grande aliado na tentativa de encontrar alternativas que tornem eficiente o uso dos recursos naturais. Outro aspecto que também deve ser considerado como impulsionador para procurar soluções que considerem o uso de energias limpas e renováveis, é a gravidade da poluição do ar nas áreas urbanas, tendo em vista suas consequências para o meio ambiente e para a saúde humana; implicando em alto custo do poder público e das políticas públicas.
    O conceito de eficiência energética está relacionado com as diversas fontes de energia providas pela matriz energética (fósseis e renováveis) para o abastecimento nas cidades. Nesse contexto, este projeto tem como objetivo desenvolver soluções inovadoras e pesquisa empírica, que incentive o uso racional de recursos energéticos, possibilitando aos centros urbanos um maior desenvolvimento, o cumprimento de suas metas ambientais e por fim, garantir o acesso à energia para a população. Para atingir esse objetivo, os principais métodos de pesquisa empregados referem-se a estudos de caso, bibliometria, surveys e análises estatísticas multivariadas.

Prof. Dr. João Alexandre Paschoalin Filho
Mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP
Doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP
Pós-doutoramento em Ciências e Tecnologia do Ambiente, pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto/Portugal

E-mail: jalexandre@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Inovações Tecnológicas para a Construção do Habitat Urbano.

    Com o crescimento da população nos centros urbanos, a necessidade de se repensar e discutir a organização das cidades torna-se um importante paradigma a ser discutido. Neste contexto, a construção civil, de uma forma geral, sempre foi orientada por uma filosofia conservadora em relação a métodos construtivos, materiais empregados e projetos em geral; o que dificulta a inserção de novas tecnologias no setor que estejam em consonância com as necessidades das cidades. Sabe-se que a construção civil deve desempenhar importante papel no desenvolvimento das cidades, uma vez que cabe a esta a edificação e organização do ambiente urbano. No entanto, em face da necessidade de obras cada vez mais rápidas, baratas e que tenham como preocupação a sustentabilidade em todas as suas fases, faz-se necessário o desenvolvimento de novas metodologias executivas, modernização dos métodos tradicionais, materiais de construção que produzam menores impactos ambientais durante sua manufatura, mitigação do impacto das obras no meio ambiente urbano e nas regiões de seu entorno, redução de resíduos e demais poluentes, modernização de premissas arquitetônicas e de projeto prevendo, ao final do ciclo de vida da obra, retrofit ou demolição controlada. Dentre deste contexto, este projeto docente objetiva o estudo de soluções para a modernização das práticas construtivas, buscando reduzir seus impactos ambientais e urbanos; bem como o estudo de certificações ambientais “Green Building”, como LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), AQUA-HQE, BREEAM entre outras. Este projeto docente também se dedica ao desenvolvimento de materiais sustentáveis a serem utilizados nas obras bem como a discussão de normas técnicas dos materiais convencionais. Portanto, como resultado das ações desempenhadas neste projeto será possível difusão tecnológica, obtenção de patentes, publicação de artigos, capítulos de livros, pesquisas de iniciação científica e mestrado. Ressalta-se que as pesquisas são desenvolvidas em sinergia com representantes da indústria, da academia e de associações civis atuantes no setor.

  • Projeto de Pesquisa: Inteligência Artificial em Cidades Inteligentes

    O objetivo é desenvolver teoria e aplicações sobre como a inteligência artificial (IA) e Aprendizagem de Máquina pode ser utilizada no cenário de Cidades Inteligentes. O foco da pesquisa é como que a inteligência artificial pode ser utilizada para apoio a tomada de decisão e formação de políticas públicas. O projeto se extende também à governança da inteligência artificial e os diferentes stakeholders em um contexto de cidades inteligentes.
    Os principais produtos desse projeto de pesquisa são algoritmos e sistemas de tomada de decisão e apoio a políticas públicas que empregem técnicas de inteligência artifical, machine learning e redes neurais. Também serão desenvolvidas métricas de mensuração de cidades inteligentes e do impacto da inteligência artificial. Os dados predominantemente serão de natureza quantitativa e num contexto de Big Data: georeferenciados, financeiros, sociais, econômicos, entre outros.

    Palavras-chave: Inteligência Artificial, Cidades Inteligentes, Machine Learning , Stakeholders , Neural Networks , Big Data .

    Title – Artificial Intelligence in Smart Cities

    The goal is to develop theory and applications on how artificial intelligence (AI) and Machine Learning can be used in the Intelligent Cities scenario. The focus of the research is how artificial intelligence can be used to support decision making and public policymaking. The project also extends to the governance of artificial intelligence and the different
    stakeholders in a smart city context.
    The main products of this research project are algorithms and decision-making and policy support systems that employ artificial intelligence techniques, machine learning, and neural networks. Metrics for measuring smart cities and the impact of artificial intelligence will also be developed. The data will predominantly be quantitative in nature and in a Big Data context: georeferenced, financial, social, economic, among others.

    Keywords: Artificial Intelligence, Smart Cities, Machine Learning, Stakeholders, Neural Networks, Big Data.

  • Projeto de Pesquisa: Psicologia Ambiental e Território Construído

    A Psicologia Ambiental, campo da psicologia desde a década de 1960, tem como foco o estudo da relação de indivíduos com o meio ambiente natural ou construído. Partindo de uma visão antropocêntrica dos problemas ambientais os estudos em Psicologia Ambiental buscam, por meio da compreensão de fatores que influenciam comportamentos favoráveis ou desfavoráveis ao ambiente, o desenvolvimento de estímulos, ações e políticas que estimulem comportamentos desejados.

    A influência de traços de personalidade, valores pessoais, normas sociais e de fatores, estímulos ou gatilhos, contextuais, ambientais e sociais na formação de percepções, atitudes em relação a políticas públicas são objeto de análise para indicação de ações adequadas à adoção de comportamentos favoráveis à sustentabilidade no território construído.

    Desenvolvimento e testes empíricos de estímulos a comportamentos de cidadania ambiental e de suporte político às ações públicas de sustentabilidade no território construído formam o foco do eixo.

    O eixo tem como base modelos teóricos da Psicologia Ambiental, Social e Experimental e Economia Comportamental.

  • Projeto de Pesquisa: Fundamentos Jurídicos da Ordenação Territorial

    O projeto docente se orienta pela reflexão crítica do fenômeno jurídico a partir da articulação das instituições regulatórias do capitalismo como sistema e das manifestações concreta dos processos de organização dos territórios. Em outras palavras, busca pensar o fenômeno jurídico em múltiplas escalas de espaço e tempo. No espaço, investiga o processo regulatório da produção do espaço em escalas formais e não formais, extrapolando as unidades territoriais subordinadas à lógica Estado Nação- território. No tempo, busca compreender os padrões regulatórios que se manifestam a partir dos processos de longa duração, sem perder de vista os fenômenos micro regulatórios apreensíveis no nível das ações contingentes e individuais. Além disso, considerando o modo como a tecnologia imprime mudanças qualitativas nas dimensões espaciais e temporais da cidade, encurtando distâncias e acelerando a rotação dos processos históricos, o projeto visa repensar a regulação urbanística e a regulação ambiental, articulando as escalas cartográficas da ordenação territorial com a escala arquitetônica dos projetos urbanos referenciados na morfologia do solo e na tipologia das construções. Nesse contexto, o projeto tem como objetivo orientar trabalhos de pesquisa que reflitam o modo como a tecnologia e as inovações impactam o desenvolvimento das cidades, alterando as condições de intervenção no território. Além disso, busca conectar agentes e políticas situados em estratos de tempo e espaço distintos, ressignificando a relação entre os entes da federação, as articulações de nível regional e as estruturas de governança de problemas globais. Por fim, o projeto se orienta para metas de produção que compreendem a publicação de artigos científicos com os resultados parciais da pesquisa, a criação de um diretório bibliográfico sobre direito, planejamento urbano e tecnologia, a organização de seminários setoriais com os grupos envolvidos na aplicação de novas tecnologias de planejamento territorial e a formatação de um laboratório de economia compartilhada e garantia de proteção aos commons urbanos.

Prof. Dr. Renato Cymbalista
Arquiteto e urbanista – FAU/USP
Mestrado em arquitetura e urbanismo – FAU/USP
Doutorado em arquitetura e urbanismo – FAU/USP
Pós doutorado em história – UNICAMP
Livre docente – FAU/USP

E-mail: r.cymbalista@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Morfologia e comportamento urbano

    O último capítulo das políticas habitacionais no Brasil reacendeu a problemática dos limites da propriedade privada como promotor de moradia adequada para os mais pobres. Apesar de ter construído milhões de unidades habitacionais, o Programa Minha Casa Minha Vida colaborou para inflacionar os preços da terra, enquanto paradoxalmente dependia de preços baixos de terrenos para viabilizar seus projetos. Os altos preços de imóveis explicam porque o programa falhou em viabilizar moradia em localizações centrais, e a distância entre a localização dos empreendimentos e as áreas centrais aumentou conforme o programa avançava em uma série de cidades, mostrando os obstáculos cada vez maiores de acesso às boas localizações.

    Este projeto de pesquisa problematiza as diferentes formas de registro, detenção e gestão da propriedade que podem se constituir como alternativas à propriedade privada na construção das políticas urbanas e habitacionais.

    Uma das principais alternativas habitacionais defendidas por setores progressistas são as políticas baseadas em aluguel. As relações de inqulinato separam o valor de uso do valor de troca de uma propriedade, evitando que o morador venda a propriedade que comprou e evitando assim que subsídios públicos acabem alimentando o mercado privado. Políticas baseadas em aluguel não significam dívidas ou juros para os beneficiários, que pagam pela moradia como serviço, e não como patrimônio. Quando a propriedade da moradia de locação é pública existem maiores possibilidades de controle de preços de aluguel. Trata-se de política que vem sendo implementada em São Paulo, desde o início do século XXI, caso único no Brasil. É política repleta de desafios, e o projeto de pesquisa dedica-se a avaliar esta política.

    Para além da propriedade estatal, existem outras formas de promoção do aluguel social.  O FICA, um grupo da sociedade civil em São Paulo vem colocando em curso uma experiência alternativa, destinada a enfrentar a problemática do aluguel social a partir de uma outra perspectiva, a da sociedade civil. Em 2015, se uniram e construíram uma associação sem fins lucrativos destinada a promover a moradia a baixo custo. O projeto de pesquisa tem como estudo de caso este projeto experimental e singular, pesquisando também experiências singulares no mundo.

    O projeto volta-se a outros arranjos possíveis de propriedade, como os Community Land Trusts dos países anglo-saxões, terras comuns, terras registradas coletivamente como territórios indígenas e quilombolas e outros arranjos fundiários que mostram uma diversidade de possibilidades e instrumentos que pode ser mobilizada para a democratização das cidades.

Profa. Dra. Tatiana Tucunduva Philippi Cortese
Mestrado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo – USP
Doutorado em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo – USP
Pós-doutoramento em Cidades Globais, pelo Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo – USP

E-mail: tatianatpc@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Planejamento, Políticas Públicas e Gestão Sustentável de Cidades.

    As cidades dependem de capacidades institucionais avançadas, governança democrática e gestão eficaz para enfrentar desafios econômicos, sociais e ambientais cada vez mais complexos, aproveitando os benefícios potenciais de novas oportunidades tecnológicas para o planejamento urbano. Este projeto tem por objetivo desenvolver pesquisa aplicada com bases teóricas e marcos conceituais referentes à formulação de políticas públicas; bem como instrumentos de implantação e avaliação das políticas públicas relacionadas ao planejamento e gestão das cidades. Caracteriza-se pela ampla discussão e integração de temas relevantes do planejamento urbano, como a participação social e desenvolvimento de planos, programas e projetos direcionados à sustentabilidade das cidades; sistemas de informações ambientais e urbanas e construção de indicadores; acompanhamento, avaliação e controle de atividades relacionadas à gestão urbana e ambiental nos contextos da administração e da sociedade. Ele se inspirará nas experiências regulatórias da cidade de São Paulo, que serão, também, objeto de estudo deste projeto, abrangendo outros que revelarem aderentes a esta pesquisa. Visando atingir esses objetivos, os métodos preferencialmente utilizados envolvem estudo de caso; análise de conteúdo; discurso do sujeito coletivo; revisão sistemática; bibliometria e história oral. O resultado esperado é a análise do impacto sistêmico das políticas públicas sobre as questões urbanas para a proposição de uma gestão eficiente de cidades. Cumpre destacar os produtos almejados que envolvem publicação de artigos científicos em periódicos com seletiva política editorial; capítulos de livros; comunicações científicas em congressos e conferências nacionais e internacionais; realização de colóquios indutores de reflexões científicas e acadêmicas como suporte à inovação no desenvolvimento de estudos e pesquisas sobre a temática.

Prof. Dr. Wilson Levy Braga da Silva Neto
Mestrado em Direito pela Universidade de São Paulo – USP
Doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP
Pós-doutoramento em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
Pós-doutoramento em Direito da Cidade pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

E-mail: wilsonlevy@uni9.pro.br

Currículo Lattes

  • Projeto de Pesquisa: Desafios democráticos da regulação em planejamento urbano.

    A discussão sobre a dimensão regulatória em planejamento urbano não prescinde da adequada compreensão de seus desafios democráticos que pautam e determinam a produção legislativa incidente sobre o território. Interessa, aqui, compreender em que medida os processos de participação democrática da cidade são orientados por tais externalidades – que incluem também os déficits de participação – e de que modo tais instrumentos devem ser repensados para oferecer respostas a desafios práticos das cidades. Este projeto parte do pressuposto que a cidade é um campo em disputa. Nesse sentido, as possíveis disfuncionalidades de sua regulação são produto desse processo, que precisa ser compreendido e filtrado para que a norma cumpra sua finalidade. A metodologia adotada será a pesquisa bibliográfica e legislativa. Recorrer-se-á, também, à literatura da teoria política, especialmente os estudos de teoria democrática que se debruçam sobre os limites das democracias contemporâneas. Objetiva-se, com isso, fortalecer a perspectiva da dimensão regulatória das cidades, fornecendo diagnósticos críticos sobre a formulação das leis e apontando caminhos, numa perspectiva normativa, para a sua superação, de modo que as cidades, a partir da miríade de atores que a compõem, possa ser protagonista de sua regulação. Como produtos, o projeto prevê a publicação de artigos, capítulos de livros, livros e a organização de eventos, além das orientações de iniciação científica e de dissertações de mestrado. Além disso, pretende estabelecer uma sinergia construtiva com as demais linhas de pesquisa, especialmente no tocante à produção de diagnósticos sobre formas de organização comunitária e ao fornecimento de subsídios para o desenvolvimento de produtos inovadores para o planejamento urbano.