Notícias

Cozinha do Imigrante UNINOVE – 2ª Edição

12/04
por Uninove

Intercâmbio de residentes multiprofissionais e graduandos com a culinária do Iêmen

Os graduandos e residentes multiprofissionais em Saúde, da UNINOVE, promovem hoje, 12 de abril, a integração cultural entre imigrantes e refugiados com o meio acadêmico, por meio da realização de Oficinas Culinárias.

A 2ª edição da “Cozinha do Imigrante” realizará um encontro inédito com imigrantes do Iêmem, além dos Residentes Multiprofissionais brasileiros. O carro chefe do Iêmen será o Kapsa, que nos remete bastante a nossa galinhada.

Este encontro de nacionalidades será uma grande oportunidade de aprendizado e troca de experiências culturais, além de promover a paz e combater a xenofobia.

No evento, os iemenitas compartilharão seus repertórios e conhecimentos culinários, com a equipe multiprofissional em Saúde (Nutrição, Farmácia, Enfermagem, Odontologia, Fisioterapia e Farmácia). A partir de uma seleção de pratos típicos apresentados pelos imigrantes e refugiados, os residentes avaliam a necessidade, ou não, de adaptação destas receitas com ingredientes facilmente encontrados no Brasil, sem deixar de lado sua identidade gastronômica.
Desde 2015, a Residência Multiprofissional da UNINOVE tem por objetivos trabalhar com populações vulneráveis, dentre elas a população imigrante e refugiada, em que são realizadas ações de prevenção e promoção à saúde, além do atendimento especializado no Ambulatório Integrado de Saúde Vergueiro, gerenciado pelo Prof. Dr. Paulo Marvulle.

Durante o atendimento clínico de pacientes oriundos de outros países, percebeu-se a necessidade de projetos de promoção e inserção social destes indivíduos, posto que o conceito de saúde perpassa a ausência de doença e sim baseia-se no bem-estar físico, mental e social.

Por este motivo, a Residência Multiprofissional da UNINOVE estendeu a aplicação dos princípios do SUS e do Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde, para adequação e atendimento dos estrangeiros, preconizando a alimentação adequada e saudável, como um direito humano básico de forma socialmente justa, referenciada pela cultura alimentar em qualidade e quantidade suficientes. Assim, a cultura alimentar destes imigrantes deve ser preservada e incentivada, por se constituírem em um passo importante para o entendimento de questões como prevenção de doenças e melhoria na qualidade de vida.

Regionalizando hábitos típicos

Na 1ª edição do Cozinha do Imigrante (2º semestre de 2017), houve a adequação do prato “Muamba de Costela com Fufu”, da culinária Angolana. Liliana Nzola e Vuvu Kuanzambi aceitaram o desafio de preparar pratos típicos de sua terra natal e, em contrapartida, puderam convidar seus conterrâneos para saborearem um jantar feito com muito amor e saudosismo.

Assista ao Vídeo da 1ª Edição Cozinha do Imigrante – Angola

Relacionados